Anjos de Deus, para nós!

São Gabriel com Maria

 

Deus, em seu Amor infinito, nos concede a graça e o privilégio da companhia de seus Anjos e Arcanjos, assegurando a cada alma um protetor especial e particular.

Na Bíblia Sagrada, temos o relato da presença visível das criaturas celestiais que trazem mensagens de Deus, que nos acompanham, que nos curam de enfermidades físicas e espirituais, que conosco combatem na luta contra o mal.

Maria ouviu atentamente o anjo Gabriel, aquiescendo com humildade e obediência ao chamado que por Ele Deus lhe havia encaminhado. Por esse SIM, a Salvação veio ao mundo.

Entrando onde ela estava, o anjo lhe disse: ‘Alegre-se cheia de graça: o Senhor está contigo! Ao ouvir isso, Maria ficou confusa e se perguntava o que esta saudação queria dizer. O anjo lhe disse: ‘Não tenha medo, Maria, porque você encontrou graça junto de Deus‘” (Lucas 1, 28-30).

Tobit e Sara, no mesmo dia, por diferentes razões e em diferentes lugares, elevaram a Deus suas preces. Em ambos os corações havia tanta tristeza e angústia que, por não conseguirem enxergar razões para viver, pediram a Deus que lhes tirasse a vida ou, se assim não quisesse proceder, que os livrasse dos insultos e ultrajes, tendo compaixão do sofrimento que amarguravam. Deus enviou o arcanjo Rafael para curar suas angústias.

No mesmo instante, o Deus da glória escutou a oração dos dois, e mandou Rafael para curá-los: tirar as manchas dos olhos de Tobit, a fim de que pudesse ver a luz de Deus; e fazer com que Sara, filha de Ragüel, se casasse com Tobias, filho de Tobit, livrando-a de Asmodeu, o pior dos demônios. Tobias tinha direito de casar-se com ela, mais do que todos os outros pretendentes.” (Tobias 3, 16-17). 

Miguel, príncipe da milícia celeste, precipitou no inferno a Satanás e aos espíritos malignos, e nos defende no combate, sendo nosso refúgio contra a maldade e as ciladas do demônio.

Aconteceu então um combate no céu: Miguel e seus Anjos combateram contra o Dragão. Também o Dragão combateu junto com seus Anjos, mas não venceu, e não houve mais lugar para eles no céu. Então foi expulso o grande Dragão, que é a antiga Serpente, o chamado Diabo e Satanás. É ele que engana todos os habitantes da terra: foi expulso para a terra e os seus Anjos foram expulsos junto com ele.” (Apocalipse 12, 7-9)

São Paulo nos ensina que o combate a ser travado é preponderantemente realizado contra o que não se vê.

O que não vemos, os anjos vêem. Deus os enviou para nós.

Façamos bom uso desse auxílio, invocando-o a todo momento e ficando em silêncio para ouvir em nosso coração as suas mensagens e os seus conselhos.

Tenhamos a consciência da luta contra o mal, principalmente contra aquilo que não vemos, mas que está presente e bem perto de nós, de nossas famílias, de nossos lares.

Tenhamos ainda mais consciência de que não estamos sozinhos nessa batalha. Os anjos de Deus estão ao nosso lado, bem perto. Basta chamar e silenciar. Em oração, podemos sentir e ouvir essa presença celestial.

E quando, relutantes em silenciar, nosso coração ainda resiste às mensagens celestiais, elas conseguem nos alcançar através de anjos de carne e osso que trazem o céu no olhar, no sorriso, num abraço.

Que neste dia dos Santos Arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel, Deus nos conceda a graça de sentir e ouvir os anjos que estão aqui para nos aproximar dEle, nos permitindo também  ser anjos na vida uns dos outros!

Antes de concluir, agradeço a Deus pelos cinco anos do nosso grupo Famílias de Jesus, comemorados hoje, 29 de setembro de 2018, no qual certamente muitas e muitas vezes pude ver e sentir o céu no olhar, no sorriso e no abraço de anjos de carne e osso que todos os dias intercedem a Deus pelas mais diversas intenções, clamando por curas e milagres, pela conversão de todas as famílias, pelo nosso país e pela nossa Igreja.

Que Deus nos abençoe e nos permita colaborar cada dia mais com o anúncio do seu Reino!

Quem não há de amá-Lo?

estrela de belém

Quando alguém nos faz uma promessa costumamos esperar que honre, cumprindo o que se dispôs a fazer. A promessa gera em nós uma expectativa e uma esperança. Podemos dizer até que a promessa, por si só, é capaz de nos trazer alegria.

Deus prometeu ao seu povo que iria enviar seu próprio Filho para nos salvar. O Messias enviado seria a nossa redenção por tantos erros, por tantas faltas, pelo pecado que nos trouxe a morte, a escuridão. Jesus veio trazer a luz para dissipar as trevas, cumprindo a promessa de Deus conforme anunciaram os profetas.

Hoje nasceu para nós o Salvador!

Se a promessa, por si só, é capaz de nos alegrar, quanto não devemos festejar quando essa promessa se cumpre com a encarnação do Filho de Deus que se faz homem como nós para nos salvar.

O céu inteiro se alegrou e convidou os pastores a dar glória a Deus nas alturas porque chegou a paz na terra aos homens de boa vontade! Jesus veio para nos anunciar que o Reino de Deus está próximo de nós! E os anjos entoaram muitos cânticos de louvor pelo nascimento de Jesus hoje! Por que nós também não havemos de nos alegrar e nos unir ao céu nesse sentimento de euforia?

O céu e a terra se unem neste dia. Deus se faz homem por amor, por um amor infinito pela humanidade. Maria dá a luz ao menino Jesus e tem em seus braços um mistério de redenção, um bebê que é carne de sua carne, que tem seu sangue em suas veias e que, ao mesmo tempo, é Deus. Um menino que deve ser adorado por toda a humanidade, que é a promessa de Deus para nossa salvação.  Como lidar com esse mistério? Os olhos estão vendo seu filhinho que acabou de nascer mas o coração lhe diz que esse é o Messias tão esperado pelo povo de Deus. Ele é o Rei dos Reis e está ali a sua frente tão frágil, precisando de cuidados, precisando de alimento e de colo. Como ninar o Cristo, o filho do Deus vivo? Maria tinha a sensibilidade e o discernimento necessários para cuidar de Jesus porque confiava plenamente na Palavra de Deus e tinha uma fé inabalável.

Deus, em seus mistérios, prefere a simplicidade e a pobreza. E, sendo assim, confunde os poderosos e se assemelha aos pobres, àqueles mais necessitados. Vendo a cena do nascimento do Cristo em um estábulo, penso no que Deus nos quer ensinar e sinto a necessidade de levar sempre essa simplicidade para a minha vida, para a vida de minha família. A noite sagrada, a noite santa, a noite feliz que o mundo inteiro recorda nesta data foi despida de qualquer estrutura necessária para o nascimento de uma criança e aconteceu de um modo que ninguém, por mais humilde que fosse, pudesse imaginar. Nosso Deus ultrapassou todos os limites da pobreza ao permitir que seu filho nascesse numa manjedoura, no frio, envolto em faixas, cercado por animais.

Deus vê o coração humano e nele quer fazer sua morada. Nada lhe é mais importante.

Ele quer nascer num coração pobre, humilde e disposto a ouvir a voz divina, assim como o daqueles pastores que, presenteados com o louvor angelical, correram para ver o Rei, o Salvador. Assim como o coração dos reis magos que, vindo de terras distantes, reconheceram-se como nada diante do Menino, verdadeiro Rei.

Assim como o de Maria e de José que, na simplicidade de um profundo silêncio, apenas amaram com todo o seu ser o Filho que lhes foi dado.

É o nosso Deus Menino que vem para ser amado, adorado e glorificado.

É o nosso Deus Menino que vem nos ensinar a amar mesmo no sofrimento da Cruz.

Envolto em faixas, aquecido pelo seio amoroso de sua mãe, o Deus Menino dorme na paz de uma Noite Feliz. E nos ensina que uma noite é plenamente feliz mesmo numa manjedoura, no frio, na humildade, na verdadeira pobreza. Mesmo que os olhos e o coração humano não consigam ver ou compreender porque naquele nascimento havia tanto o que se alegrar depois de tantos fracassos em busca de um lugar mais digno para o nascimento do Rei.

Jesus escolheu nascer numa família e com isso nos mostra o Seu desejo de reinar em todas as famílias, de ser o Amor que as une, de ser o sentido que as conduz, porque Ele quer que todas as famílias sejam Dele, famílias de Jesus.

Vinde e adoremos o Salvador! Peçamos sua paz, sua beleza, sua pobreza, para o nosso coração, para nossas famílias.

Permita que o Menino Deus more em seu lar, pois, Ele inundará sua vida de Amor, como inundou a terra nesta noite santa.

Busque-o, como fizeram os Reis Magos. Pois, conhecendo-o, quem não há de amá-Lo?

Ele tem uma promessa de vida eterna para nós e essa promessa, por si só, é o motivo de nossa alegria. A cruz nossa, de cada dia, não deve nos afastar dessa certeza, pois nem imaginamos o quanto nos aproxima, mais ainda, dessa promessa.

Vinde e adoremos o Salvador! Sejamos famílias de Jesus, do Menino Rei, nosso maior Amor.

Um milagre que continua

nossa senhora guadalupe              medalha-milagrosajpg9572012181221

Olá. Estava com saudades de escrever aqui. Queria muito ter escrito nos dias 27 de novembro e 12 de dezembro recordando, respectivamente, as aparições de Nossa Senhora em Paris, a Santa Catarina Labouré, no ano de 1830 e, no México, ao índio Juan Diego, no ano de 1531.

Tenho um carinho muito especial por Nossa Senhora das Graças e a medalha milagrosa porque é a primeira devoção de que me recordo, tendo início ainda quando criança. Como meu nome é Catarina, isso deve ter ajudado a criar esse laço de amor e carinho com esse acontecimento particular, juntamente pelo fato de trazer sempre comigo a medalha milagrosa que me impressiona desde criança pela denominação decorrente dos inúmeros milagres realizados. “Por meio da medalha foram alcançados tantos milagres que o povo a denominou de Medalha Milagrosa”.

Meu casamento foi no dia 27 de novembro de 2004, abençoado e protegido pela Mãe das Graças. Considero meu matrimônio mais uma das infinitas graças que já me foram concedidas por tão bondosa Mãe.

Nossa Senhora de Guadalupe é uma aparição que me encanta pelo mistério inexplicável do milagre que não terminou. Assim como o povo mexicano, a imagem é belíssima e tem um colorido muito atraente. Gosto muito das cores, dessa beleza que traz em si os traços do lugar que Nossa Senhora visitou. O título de hoje seria o do post do dia 12 de dezembro que não consegui escrever.

Mais uma vez, assim como em Aparecida e no Rio Potengi, Nossa Senhora no México se apresenta aos mais humildes e pobres.

Eu te agradeço, ó Pai, por ter escondido estas coisas aos sábios e inteligentes e tê-las revelado aos pequenos e aos humildes” diz Jesus.

Deus vê sempre o coração, Deus vê a essência. Só os humildes estão livres de distrações que perturbam o coração e não permitem que Deus em nós seja pleno, faça sua morada.

O grande milagre de Nossa Senhora de Guadalupe continua porque se traduz na própria imagem gravada há quase cinco séculos em tecido feito de cacto que se deteriora em menos de vinte anos. Analisada por vários peritos em química e em pintura, a imagem é um mistério insondável. Ampliada, observa-se a figura de Juan Diego, do Bispo e do intérprete refletida e gravada nos olhos do quadro de Nossa Senhora como nos olhos de alguém se reflete aquilo que se vê.

Tanto no México quanto em Paris, o céu nos deixa imagens gravadas para também gravarmos em nosso coração a Virgem Maria que já nos tem gravados em seu olhar.

Não tinha planejado escrever neste dia até ter ido a missa hoje pela manhã agradecer por um milagre que também continua acontecendo a cada minuto na minha vida e na vida de minha família. Meu milagre perene se chama Miguel Ângelo, meu primeiro filho, que há oito anos, numa confraternização de nossa família, entrou na piscina sem que ninguém percebesse e foi encontrado já boiando emborcado, sem batimento, sem respiração, já roxinho.

Ele tinha dois anos e eu estava com Rafael, com dez meses, nos meus braços. Ele foi socorrido por um anjo de Deus, pediatra, meu primo querido, que, mesmo em condições bem desfavoráveis, não desistiu de lutar para reanimá-lo. Continuou insistindo e, pela Graça de Deus, ao som das palavras pronunciadas pelo Arcanjo Gabriel à Virgem Santíssima, meu Miguel voltou à vida! E voltou com muita alegria e plenitude porque Deus não faz nada pela metade.

Todos os abraços, as risadas, os choros, as vitórias comemoradas, cada gol que ele faz é  uma graça de Deus. É um milagre que se perpetua no tempo e que está aqui na nossa frente, inexplicável e insondável. Um daqueles raios que saem das mãos de Nossa Senhora gravada na medalha milagrosa desceu sobre Miguel no dia 20 de dezembro de 2009 quando, ao som da oração do anjo Gabriel, pedíamos ao céu socorro para que nos livrasse de sua morte. Não tenho dúvida alguma de que todos que estavam ao redor daquela piscina, suplicando por um milagre, pedindo pela vida daquela criança, estavam também refletidos no olhar da Virgem de Guadalupe.

E Deus mais uma vez nos concedeu a vida de Miguel!

Nossa Senhora disse a Santa Catarina Labouré que tem graças infinitas para derramar sobre a humanidade, mas as pessoas não pedem. Nossa Senhora disse que suas mãos se estendem sobre a terra com o peso das graças a serem derramadas, como a imagem da medalha. Peçamos, peçamos, peçamos as graças que elas virão até nós. Tenhamos fé.

“A Santíssima Virgem disse-me: ‘Eis o símbolo das Graças que derramo sobre todas as pessoas que mas pedem …’ Formou-se então, em volta de Nossa Senhora, um quadro oval, em que se liam, em letras de ouro, estas palavras: ‘Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós’. Depois disso o quadro que eu via virou-se, e eu vi no seu reverso: a letra M, tendo uma cruz na parte de cima, com um traço na base. Por baixo: o Sagrado Coração de Jesus e o Sagrado Coração de Maria. O de Jesus, cercado por uma coroa de espinhos em chamas, e o de Maria também em chamas e atravessado por uma espada, cercado de doze estrelas. Ao mesmo tempo, ouvi distintamente a voz da Senhora, a dizer-me: ‘Manda, manda cunhar uma medalha por este modelo. As pessoas que a trouxerem, com devoção, hão de receber muitas graças”.

Disse Nossa Senhora de Guadalupe a Juan Diego:

“Escute, meu filho, não há nada que temer, não fique preocupado nem assustado; não tema esta doença, nem outro qualquer dissabor ou aflição. Não estou eu aqui, a seu lado? Eu sou a sua Mãe dadivosa. Acaso não o escolhi para mim e o tomei aos meus cuidados? Que deseja mais do que isto? Não permita que nada o aflija e o perturbe. Quanto à doença do seu tio, ela não é mortal. Eu lhe peço, acredite agora mesmo, porque ele já está curado.”

E, por fim, hoje aprendo mais uma vez que devemos sempre confiar em Deus e nunca nos entristecer se algo não saiu exatamente como queríamos ou planejamos.

Deus sempre tem ideias melhores e, quando menos esperamos, um milagre acontece!

 

Todos podemos ser Santos

todos-os-santos

Deus, que nos criou, nos chama à santidade!

Jesus mesmo nos disse: Sede Santos, como o vosso Pai celeste é Santo. Se Jesus nos deu esta ordem, ela é possível de ser cumprida! Deus não iria nos inspirar algo que não estivesse ao nosso alcance. Precisamos acreditar que isso é possível! E lutar para vencer o que dentro de nós impede que a graça de Deus se manifeste em nossas vidas e na vida daqueles que estão perto de nós ou mesmo bem distantes, pois, hoje, temos recursos que nos permitem levar boas notícias ao mundo inteiro sem precisar sair do lugar.

Assim como cada um de nós é único neste mundo, também é única a forma de corresponder a esse chamado. Nenhum santo é igual ao outro. Por isso, para sermos santos podemos nos inspirar nos grandes exemplos que temos em nossa Igreja para vermos como eles lutaram e foram fortes e, ainda, como eles também tinham fragilidades que se transformavam em fortaleza para a Glória de Deus.

No entanto, devemos ter sempre a consciência de que podemos ser santos vivendo o nosso dia-a-dia, na forma como Deus nos chamou, com os desafios que nos são propostos a cada manhã. Precisamos entender que não é preciso viver exatamente como viveram os santos para corresponder ao que Deus quer de nós, mas devemos viver buscando seguir com fidelidade o Evangelho, o que Deus inspira em nossas orações, o que nosso coração anseia. Silencie, ouça a voz de Deus falando em seu coração.

Buscar seguir o que Deus ensina em todos os momentos de nossa vida, estar atento à Sua voz, lutar sempre contra o mal, buscar o caminho da perfeição, doar-se a Deus, amá-Lo por inteiro com toda a nossa força e com toda a nossa alma, exercitar a humildade, a obediência, a paciência, a caridade. É o que aprendemos com os santos e como somos chamados a viver!

Dom Bosco nos ensinou que a santidade consiste em: Ser alegre, cumprir bem os seus deveres e amar os irmãos.

Se Deus nos inspira a santidade, ela é possível! Muitos conseguiram e hoje estão na Glória de Deus. Temos muitos amigos no céu esperando por nós e nos ajudando na batalha.

Vamos combater o bom combate, completar a carreira e guardar a fé. A coroa da Justiça nos espera!

 

Festejemos sempre o bom e o belo

Santos do Senhor

Você já percebeu como as festas de Halloween estão crescendo em número e popularidade em nosso país nos últimos anos? Aparentemente uma brincadeira inofensiva que inicialmente começou a ser celebrada em escolas de idioma na tentativa de imitar a cultura americana, mas essa prática se espalha assustadoramente em escolas tradicionais, festas particulares e até como tema de festas natalícias de crianças!

Mas qual o significado do Halloween?

“All hallow’s eve” é uma palavra que provém do inglês antigo, e que significa “véspera de todos os santos”, já que se refere à noite de 31 de outubro, véspera da Festa de Todos os Santos. Entretanto, o antigo costume anglo-saxão lhe roubou seu sentido religioso para celebrar em seu lugar a noite do terror, das bruxas e dos fantasmas. O Halloween marca um triste retorno ao antigo paganismo.

E qual a origem do Halloween?

Esta festa foi criada pelo povo Celta, há mais de 2.000 anos, inicialmente chamada de Samhain. Eles acreditavam que ao final de Outubro (período de colheita), os espíritos do mal retornavam para o mundo real e nesta data eles enfeitavam suas casas com objetos assustadores e cultuavam o deus do mal, consultavam-lhe sobre previsões do futuro, saúde, morte…essa celebração se tornou muito popular na Grã Bretanha mesmo após sua cristianização.

Em 609 d.c., o Papa Bonifácio IV instituiu a Festa de Todos os Santos no calendário da Igreja, e pouco mais de um século após, o Papa Gregório III mudou a sua data para 1o. de Novembro, talvez no desejo de estimular os cristãos, especialmente da Grã Bretanha, a celebrarem a vida dos santos, e não os espíritos do mal, como acontecia no festival Samhain.

E na astúcia daqueles que participam de seitas satânicas, ocultismo e bruxarias, a festa do Halloween foi se difundindo em clara oposição à nossa Festa de Todos os Santos.

Não se iluda! O Halloween NÃO é uma brincadeira inofensiva!

Várias seitas satânicas tem nesta data o ápice de suas celebrações, o dia a se cultuar o príncipe do mal! Sacrifícios humanos e de animais são realizados com fervor nesta data, também pactos com o maligno. Sem falar nos crimes, agressões a jovens e atos de vandalismo que acontecem nesta data em vários países.

E por que razão nós, católicos, permitimos que nessa festa nossos filhos se vistam como diabos, bruxas, caveiras, fantasmas, mortos…? Muitos pais até irão dizer: “…mas meus filhos participam desta festa vestidos de fantasias comuns, fadas, super-heróis, então não há problema algum, trata-se apenas de diversão!”  Cuidado! Isto NÃO é verdade! Sabemos através de religiosos que estudaram este tema (especialmente os exorcistas) e também de ex-praticantes destas seitas, que nesta data o poder das trevas é tão exaltado que exerce uma influência inconsciente em nossos jovens e crianças. A magia e a feitiçaria permitem que o poder do mal vá adentrando em nossas famílias quando abrimos “brechas”, e quão “escancaradas” ficam as portas das nossas casa nesta data ao celebrarmos o poder do maligo…!

Cada pai e mãe tem o livre arbítrio de dizer NÃO a estas celebrações. Nossos filhos não são obrigados a participarem de tais aberrações. Façamos diferente! Vamos intensificar nossas orações em família no dia 31 de outubro. Vamos exaltar a importância de celebramos a linda vida de tantos santos de nossa religião!

Em nosso grupo nós celebramos a Festa de Todos os Santos de maneira muito divertida! Fantasiamos cada criança de um santo diferente, falamos a eles sobre a vida de alguns santos e depois compartilhamos as guloseimas. Diversão garantida!!!

“Não permitam que se ache alguém no meio de vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou se dedique à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria ou faça encantamentos; que seja médium, consulte os espíritos ou consulte os mortos.

O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, o seu Deus, vai expulsar aquelas nações da presença de vocês.

Permaneçam inculpáveis perante o Senhor, o seu Deus”.        Deuteronômio, 18,10-13

“As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas a demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou queremos provocar a ira do Senhor? Acaso somos mais fortes do que ele?”   1 Cor 10,19-22

Vanessa Giffoni

A bênção, João de Deus!

São João Paulo II

Cantai a Deus um canto novo! Cantai a Deus, ó terra inteira!

Nosso santo de hoje, muito amado por toda a humanidade, entoou a Deus durante sua vida sempre um canto novo, porque ele amava o novo, amava a juventude, amava as artes e o esporte, amava com todo seu ser a Deus e à Virgem Maria. Esse amor transpassava a sua alma e chegava até nós. Todos podiam sentir esse Amor Verdadeiro que irradiava do coração do nosso saudoso e muito, muito querido João Paulo II.

E sempre inovando, durante seu pontificado também realizou muitas viagens, anunciando o Evangelho a todas as criaturas, indo e levando a Boa Nova ao mundo inteiro. A missão que lhe foi confiada por Deus estava pulsando sempre em seu coração e era correspondida ainda que sob ameaça de atentados, de hostilidade, da própria dificuldade de locomoção advinda com a idade. Ninguém calava essa voz, sua alma nunca envelheceu.

Apesar das doenças que chegavam e não queriam mais ir embora, ele permanecia firme e não desanimava, seu cântico novo não deixava de ser entoado. E os nossos corações acompanhavam fervorosos cada missão, cada país visitado, cada notícia que era veiculada sobre a sua vida, sobre a sua missão, sobre a sua saúde. Toda a humanidade estava envolvida em sua missão. Deu a Deus tudo o que tinha e lutou ardentemente até chegar ao céu, até receber a coroa da glória.

Hoje, lembrando deste santo que parece estar bem perto de nós porque é nosso amigo querido com o qual estivemos várias vezes, recebemos sua visita em nossa terra, um amigo que aterrissou em nosso aeroporto e beijou nosso solo, um amigo que queríamos sempre dele ter notícias. Um amigo que nos fez pedir a Deus pela recuperação de sua saúde e que nos fez chorar com a sua partida para o céu.

Hoje, a lembrança deste amigo deve ser para nós uma inspiração divina em seguir o seu exemplo de cantar a Deus um cântico novo, de ir ao mundo inteiro levar a Boa Nova a todas as criaturas, de ser alegre, de amar até aquele que tenta contra a sua própria vida, perdoá-lo e ir visita-lo na prisão.

Hoje o céu se abre em festa e nós, como nosso amigo querido que está lá, devemos buscar amar a Deus e a Virgem Maria com todo nosso ser e, como bom cristão, nunca deixar de lutar para, ao final de tudo, assim também como nosso amigo, receber a coroa da Glória!

“Não tenham medo! Abram as portas para Cristo!” São João Paulo II

“A Igreja só será jovem, quando os jovens forem Igreja.” São João Paulo II

“O futuro da humanidade passa pela família. Só ela salva!” São João Paulo II

Aparecida

WhatsApp Image 2017-10-12 at 10.06.47

Nossa senhora apareceu na rede dos pescadores como prenúncio do milagre que estava por vir.
A sua aparição precedeu o milagre como um sinal de que valia a pena insistir, valia a pena tentar de novo sob a proteção da Virgem que já estava ali presente para auxilia-los com a Sua Graça.
A aparição dela para aqueles pescadores dizia a eles: continuem! Estou aqui presente com vocês! Tentem mais uma vez. Agora vai dar certo!
Terem encontrado a imagem da Imaculada Conceição naquela rede, primeiro o corpo, depois a cabeça, encheu-os de alegria e ânimo e eles tiveram a sensibilidade de compreender o recado do céu!
Ainda que a época, o tempo e todas as condições fossem desfavoráveis. Ainda que já tivessem tentado inúmeras vezes sem êxito.
O céu dizia que deviam insistir e jogar a rede mais uma vez!
Depois do encontro da imagem e da oração fervorosa, o milagre aconteceu!
E não cabiam na rede tantos peixes para a alegria daqueles pescadores!
Não vamos desistir! Vamos insistir e continuar jogando nossas redes!
Ouvindo os recados do céu, com oração fervorosa, fé e esperança, o milagre vai acontecer! Acredite! Tenha fé! A Virgem apareceu há 300 anos no rio Paraíba e hoje aparece na nossa vida! Eh só prestar atenção!
Como nas bodas de Caná, Nossa Senhora está atenta ao que nos falta.
Precisamos estar atentos a sua ordem: – Fazei tudo o que Ele vos disser!
Que Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida nos abençoe, nos proteja e apareça em nossas vidas anunciando os milagres que Deus planejou para nós e para nossas famílias!
Muita doçura e amor da Mãe Aparecida para as crianças do nosso país!

 

“Eu cumpro a ordem do meu coração”

sagrado-coracao-de-jesus1

Toda primeira sexta-feira do mês é dia dedicado ao Sagrado Coração de Jesus.

E, hoje, nesse dia especial de oração, faz uma semana que iniciamos nossas postagens.

Dias muito especiais se seguiram desde a festa dos Santos Arcanjos. Falamos sobre o Dia da Bíblia e de São Jerônimo, de Santa Terezinha, do Anjo da Guarda, dos Santos Mártires, de São Francisco de Assis e de Santa Faustina. A cada dia nos guiou o Senhor sobre o que compartilhar com vocês, nossos amigos.

Não planejamos assim como aconteceu. Deus foi nos inspirando a cada dia, nas manhãs, nas madrugadas e, de forma surpreendente, nosso coração sentia a necessidade de escrever e de compartilhar. Não foram nossos planos, mas o Plano de Deus que se realizou. Nós apenas buscamos ser sensíveis à Sua voz e cumprir a ordem do nosso coração.

Como Ele nos inspirou a nos reunirmos, enquanto mães, e rezarmos por nossos filhos de forma simples e despretensiosa há quatro anos, Ele também nos inspirou a criação deste espaço de evangelização e de acolhimento.

Ficamos muito felizes em saber que estamos levando paz, amor e o aconchego de Deus para muitas pessoas que se sentem bem em ler o que, sob a luz do Espírito Santo, buscamos escrever.

Hoje, queremos dizer que Jesus procura abrigo em nossos corações. Ele vai batendo, de porta em porta, até alguém abrir.

Ouça Jesus, abra o seu coração para que Ele possa entrar e fazer morada.

Silencie para ouvir a Deus e ao seu chamado. Busque sempre cumprir a ordem do seu coração.

Não sabemos o que Deus preparou para nós, não sabemos qual o seu Plano para as nossas vidas, não sabemos aonde chegará este espaço de evangelização. Mas, em oração e com muita humildade e obediência, queremos ouvir as ordens de Deus e ser sensíveis ao que Ele nos inspira, pedindo a graça, a força e a coragem necessárias para cumprir fielmente seus desígnios.

Deus tem um plano para cada um de nós!

Silencie. E em oração Deus há de falar. Ele nos fala sempre, basta prestarmos atenção e ouvir.

Deus tem um plano para você. Cumpra a ordem do seu coração!

O poverello de Assis

são francisco

Olá! Me pediram para escrever sobre São Francisco de Assis em virtude da comemoração de seu dia! Confesso que minha intenção nas próximas linhas passará longe de informar de forma didática sobre a vida desse Santo tão importante para a nossa amada Igreja Católica. Aliás, não tenho autoridade e nem capacidade para fazer tal coisa!

O que vou tentar aqui é relatar como São Francisco entrou na minha vida e as mudanças que fez, o caminho que ele me ensinou e como fiquei apaixonado pelo seu modo de viver, procurando sempre ser o “Evangelho vivo” e gritando pelas ruas da pequena Assis: “ O Amor não é amado”.

Meu caminho de conversão passa diretamente pela descoberta da existência desse homem que viveu na Idade Média, filho de um grande comerciante que nutria em seu filho os mais altos sonhos dessa vida terrena. Filho de Pietro Bernadone e Dona Pica Bernadone, recebeu inicialmente o nome de Giovanni dado por sua mãe, porém, o pai quando chega de viagem muda imediatamente para Francesco, querendo já encaminhar o filho às ambições de nobreza e títulos. E assim Francisco foi criado até se deparar com uma doença, que o deixou acamado por vários dias…nessa doença, o próprio Jesus o foi catequizando assim como fez com São Paulo em sua “queda” do cavalo.

A partir dessa experiência com o próprio Cristo, Francisco nunca mais foi o mesmo!! Vivia pelos cantos da cidade lendo, se emocionando com os pequenos gestos de amor que Jesus lhe demonstrava. As festas, as competições, a loja de tecidos de seu pai, nada disso agora importava mais para Francisco pois ele tinha encontrado o “Grande Tesouro” e estava disposto a vender tudo o que possuía para comprar esse Tesouro!

O resultado nós sabemos: em praça pública, Francisco rompe com seu pai e nasce de novo!

Nessa nova vida, o jovem Francisco resolve viver ao pé da letra o Evangelho.

E não é que seu exemplo vivo acabou atraindo outros jovens, moças e até casais! Eles também queriam viver a simplicidade do Evangelho. E assim deu-se a criação das 3 ordens fundadas pelo próprio Francisco: A dos Frades Menores, a das Clarissas e a Ordem Franciscana Secular!

Lendo sobre sua vida e até agora, neste momento em que escrevo, meu coração se enche de um amor que não consigo explicar! Definitivamente conhecer a história de São Francisco foi o que me fez tentar seguir o caminho do Evangelho! E fico me perguntando, assim como Padre Zezinho em sua música: e se os jovens de hoje topassem com Francisco de Assis??? Teriam mil ideias de renovação? Seriam consciência do povo? Seriam mais irmãos?

Numa era em que se fala mais de diversidade do que semelhança, deveríamos voltar ao básico: Amar a Deus, a criação e os irmãos! Essa é a base da regra Franciscana….São Francisco grita isso há mais de 800 anos!!

Terminando esse texto me veio à mente a grande pergunta que a própria Santa Clara se fez ao se deparar com a nova regra de vida do antigo “bon vivant” Francesco: “Será que tenho tamanho amor por Cristo como ele??”

Paz e bem!!

Protomártires

martires rn

Cunhaú e Uruaçu

Foram palco do martírio

E como a Jesus no Calvário

Do olhar da Mãe de Deus o auxílio

Tanto sangue derramado

No nosso chão potiguar

Por amor a Jesus Cristo

Ninguém se deixou calar

Homens e mulheres

Sacerdotes e crianças

Toda família foi vítima

De uma cruel matança

E em meio a tanta dor

Deram grande testemunho

Ensinando com ardor

Como se deve amar Nosso Senhor

Abraçaram o martírio

Tudo em nome do Senhor

Foi a Santa Eucaristia

Sua coragem, seu louvor

A realeza do Cristo

Exaltada por amor

De santos homens e mulheres

Pelo sacramento do Amor

No sangue do Cordeiro

E com palmas nas mãos

Reluziram para todos

Uma grande multidão

Perante o trono de Deus se encontram

Dia e noite em seu Santuário

Hinos de louvor entoam

Com seu belo vestuário

E nós, pequenas almas,

Com o olhar nos protomártires

Aprendemos a sofrer com mais amor

A dor de cada dia, o suor do nosso labor

Olhai o povo do Rio Grande

Nossas famílias de Jesus

Santos Mártires nos ajudem

A suportar a nossa Cruz

Aqui não tínhamos nenhum santo

E agora temos tantos

Santos homens, mulheres e crianças do Senhor